Hora de economizar: Dicas de uso racional e eficiente dos recursos naturais

postado por aleile @ 1:18 PM
8 de outubro de 2013

Poupar energia, água ou outro recurso natural, bem como reciclar resíduos e transformá-los em produtos com valor agregado. Atitudes como essas combinam com sustentabilidade, que não se trata apenas de uma palavra da moda, mas sim uma prática obrigatória no mundo contemporâneo. Ser sustentável, portanto, significa ter a capacidade de renovação dos bens da natureza. Sem esse equilíbrio, a tendência é o esgotamento de recursos, comprometendo o meio ambiente. Atitudes que vão do âmbito global até o doméstico devem ser encaradas como uma necessidade de sobrevivência do planeta. O papel das empresas, como agentes sociais no processo de desenvolvimento, por sua vez, é crescente. Instituições como a Embasa e a Coelba já dão conta da sua responsabilidade frente à valorização do meio ambiente e, por isso, desenvolvem diversas ações para a conscientização do uso racional e eficiente da água e da energia com o objetivo de combater o desperdício e as perdas. Como contrapartida, ganham a confiança da sociedade, tornando-se uma empresa-cidadã. Veja, abaixo, algumas dicas de uso racional e eficiente dos recursos naturais:

Chuveiro elétrico – Nos dias quentes, mantenha a chave de temperatura na posição “verão” (na posição “inverno”, o consumo de energia é aproximadamente 30% maior). O chuveiro elétrico é responsável por cerca de 25% do consumo de uma residência, por isso limite seu tempo debaixo da água quente ao mínimo indispensável. Não tente aproveitar uma resistência queimada, isso aumenta o consumo.

Economizar água - Tomar banhos mais rápidos, fechar a torneira ao escovar os dentes e ao ensaboar a louça da cozinha, aproveitar toda a capacidade da máquina de lavar juntando mais roupas, verificar se não há vazamentos em pias e canos. Muitas tecnologias têm sido desenvolvidas para o reúso da água doméstica, mas até elas se popularizarem todos podem contribuir recolhendo a água das chuvas para lavar carros ou regar o jardim e reaproveitando a água desprezada da máquina de lavar roupas para lavar áreas externas da casa.

Ar-condicionado - O condicionador de ar é um dos eletrodomésticos de maior consumo de energia. Utilize-o apenas o estritamente necessário e mantenha portas e janelas bem fechadas para evitar a entrada de ar do ambiente externo. Verifique o correto funcionamento do termostato, regulando-o adequadamente (25º). Se possível, instale o aparelho onde ele não fique exposto ao sol.

Geladeira - A geladeira é responsável por cerca de 30% do consumo total de uma residência. Não deixe a geladeira aberta, nem fique abrindo-a desnecessariamente. Coloque o refrigerador em local ventilado, afastado de paredes, fora do alcance dos raios solares e distante de fogões e estufas. Verifique se as borrachas de vedação da porta estão em bom estado. Não use a parte traseira da geladeira para secar panos ou roupas. Descongele sua geladeira regularmente e não coloque alimentos quentes dentro dela.

Lavadora de roupas - A máquina de lavar roupas consome 2 a 5% do consumo total de uma residência. Procure lavar de uma só vez a quantidade de roupa indicada pelo fabricante da máquina de lavar. Utilize a dosagem correta de sabão para que você não tenha de repetir a operação enxaguar.

Ferro elétrico – Esse eletrodoméstico é responsável por cerca de 5 a 7% do consumo total de uma residência. Habitue-se acumular a maior quantidade possível de roupas para passá-las de uma só vez.  Use a temperatura indicada para cada tipo de tecido, no caso de ferro automático. Quando precisar interromper o serviço, desligue o ferro. Deixe as peças mais leves e fáceis para passar por último, para aproveitar o calor do ferro elétrico desligado.

Televisão – A TV é responsável por cerca de 5 a 15% do consumo total de uma residência. Não deixar a TV ligada sem ninguém a assistindo.

Optar por produtos sustentáveis - Os eletrodomésticos campeões em economia ganham o Selo Procel de Economia de Energia. A substituição de equipamentos que ocasionam excesso de consumo de energia elétrica por outros de melhor rendimento é uma medida que pode reduzir significantemente o valor da conta de energia.

Fiação elétrica - Emendas de fios mal feitas, fios desencapados e isolação desgastada causam fuga de corrente, choques e fazem com que a conta de energia aumente. Para prevenir fugas de corrente, o consumidor deve fazer uma revisão periódica na instalação elétrica de sua residência.

Sensores - Equipamentos que acionam a iluminação ao detectar a presença de alguém ou de alguma coisa em movimento, os sensores de presença são propícios para gerar mais economia do que minuteiras convencionais. Devem ser usados em corredores, escadas e nas áreas comuns dos condomínios.

Elevadores - O uso inadequado dos elevadores traz gastos extras de energia. Uma opção para minimizar o problema é adotar o sistema contra a duplicidade de chamadas que, além de economizar energia elétrica, ainda protege o maquinário. Nos horários de menor movimentação (entre as 22h e 6h), manter um dos elevadores desligados.

Lâmpada - A iluminação é responsável por cerca de 20% do consumo total de uma residência. Habitue-se a apagar as lâmpadas dos ambientes desocupados e utilize lâmpadas fluorescentes, que duram mais e gastam menos energia. Importante, também, utilizar poucas lâmpadas de maior intensidade luminosa ao invés de várias lâmpadas de menor intensidade. Aproveite, ao máximo, o uso da iluminação natural em áreas comuns, abrindo janelas, cortinas e persianas. Em áreas de jardim, use lâmpadas em LED, que podem economizar mais de 70% de energia, e em quadras, use as de multivapor metálico.

Deixe seu comentário.